31 de agosto de 2015

O closet perfeito: Como criar?

Faz parte dos nossos sonhos ter um closet perfeito. Aliás, se nos aparecesse o Génio da Lâmpada com os seus 3 desejos, muitas de nós pediríamos um guarda-roupa de sonho! ahah
O que acontece é que criar um conjunto de roupas e acessórios à nossa imagem é muito difícil:
- Porque os nossos gostos não são sempre iguais;
- Porque fazemos compras por impulso;
- Porque o orçamento é limitado;
...

Um closet que nos complemente deve ser construído gradualmente e há alguns pontos orientadores que podemos seguir.
Deixo-vos algumas dicas:


1. Cria um Kit Inicial

Cria um conjunto de 3 a 6 peças que tenham exatamente o teu estilo e que ao mesmo tempo sirvam de base para outros coordenados. Estas peças podem/devem ser combinadas entre si e deves sentir-te confiante quando as usas. A qualidade destas peças é essencial uma vez são como uma base para outros outfits.
Fica um exemplo de um kit inicial, que podia ser o meu.


2. Analisa o teu estilo de vida
 
Recorre à tua agenda ou a qualquer ferramenta que te permita ver quais as tuas atividades (trabalho, ginásio, ocasiões formais, saídas à noite, tempo em casa, ...). De seguida, observa/lembra-te da regularidade com que exerces cada uma delas. Este aspeto é fundamental para a definição de prioridades e das quantidades de peças para cada atividade.
Por fim, tenta representar de alguma forma as conclusões a que chegaste.
Abaixo fica um exemplo gráfico (do blog Into Mind):




3. Esboça o teu guarda-roupa ideal.

O teu Kit Inicial deve fazer parte de um conjunto importante de peças: o teu guarda-roupa ideal.
Pensa no tipo de organização que mais gostas, no espaço que tens disponível, nos tecidos que mais gostas, no estilo que mais gostas. Pesquisa imagens de closets de outras raparigas, pesquisa it girls com um estilo semelhante ao teu. Tudo é permitido para que idealizes o teu guarda-roupa perfeito!


4. Escolhe peças versáteis.

Na construção de um closet à tua medida deves ter na ideia que as tuas futuras compras devem ser ponderadas. Por exemplo, neste processo deves ter cuidado com as peças que são "demasiado" e com as que são "demasiado básicas". O look só de peças básicas não permite que se marque a diferença e as peças over the top são pouco versáteis. É também importante entender se as peças de que gostamos nas lojas se adequam a situações diferentes ou apenas a um tipo de atividade. Jogando pelo seguro na altura de comprar, podes sempre adquirir peças como as que definiste no teu Kit Inicial mas noutros tecidos, cores ou cortes.

from pinterest.com

5. Encontra o melhor que o teu budget pode pagar.

Deves definir um orçamento para este tema e reparti-lo conforme o grau de importância das peças (será inteligente pagar o mesmo valor por um blusão de cabedal e por um colar?). 
Entende em que peças pretendes investir mais e que peças não te importas de ir substituindo com alguma frequência (tendo sempre em conta que nem sempre preço alto significa muita qualidade). Pensa em adquirir peças clássicas, intemporais. Não descartes as lojas de roupa em segunda mão. Mantém os horizontes sempre abertos.


6. Continua sempre a melhorar o teu guarda-roupa.

Ao teu ritmo e ao ritmo do teu orçamento (flexível ou não). A melhoria contínua mantém-te motivada e satisfeita com o que vestes. A aquisição de peças tendência é não só permitida como bem-vinda e torna o teu guarda-roupa mais rico e atual. A forma como te vestes e constróis os teus outfits fala de ti antes de abrires a boca por isso deves adorar todas as peças do teu guarda-roupa! 


from pinterest.com

Espero muito que estas dicas tenham sido úteis! 

Brevemente quero falar-vos dos conceitos de Slow Fashion e Fast Fashion porque acredito que algumas explicações sobre estes assuntos tão em voga vão complementar estas dicas. Estejam atentas!


Um beijo,
MariaDaniela

Sem comentários:

Enviar um comentário