11 de setembro de 2015

Como NÃO ir às compras!

Sou uma miúda nova mas no que toca a compras já experimentei diversos métodos. Sim, porque esta coisa de sair de casa para comprar coisinhas para nós é todo um processo com questões de logística, de tempo, de espaço, de humor. Jesus...
Se não tivermos os pirolitos a funcionar todos ao mesmo tempo acabamos a comprar aquela minissaia tigress com uma barra verde néon. A quem nunca aconteceu?

Hoje (e assumindo que estou novamente a mudar a forma de comprar) prefiro comprar menos mas com mais qualidade. Vou uma primeira vez ao shopping para passar nas lojas que habitualmente frequento e nas que me seduzem pelas montras, recolho livrinhos com as atuais coleções e só numa segunda ida é que compro o que efetivamente me cativou. 

Mas não vim falar do que eu acho que se deve fazer, mas sim do que NÃO se deve fazer na altura de ir às compras.

Conselhos Básicos:

- Não ir com pressa 

Ou acabamos por não comprar nada, ou compramos aquela peça que achamos "mais ou menos" porque não tivemos tempo de procurar melhor. Com pressa, os nossos olhos nem observam com atenção os pormenores, apenas registam o geral, o que complica a seleção de produtos.


- Não ir com o namorado

Erro crasso. Clássico. O que lhe quiserem chamar. A não ser que seja ideia dele e que vos queira oferecer alguma coisa (ahh saudades! ahah), a opção de ir passear ao centro comercial a dois pode dar origem a uma separação feia! Vá, sem exageros, todas nós sabemos (e vemos!) que eles sofrem, sofrem, ...



- Não ir com alguém que critica a nossa forma de vestir

Ir com aquela amiga que não é assim tão amiga ou com alguém que não percebe os nossos gostos dá asneira. Não dá opinião quando se está no provador, franze o nariz, faz cara feia, bufa, tenta levar-nos a escolher um estilo de roupa parecido ao dela. Frustração total para ambas.


- Não ir antes de um momento importante ou stressante

Semelhante a ir com pressa mas pior. Não se está com a cabeça em cima dos ombros e muitas vezes é nessa altura que se compra a típica peça "WTF?!", aquela peça que não nos diz nada, pode até ter sido cara e nós achamos que deviamos estar debaixo de algum feitiço para comprar aquilo, quando na verdade eram só nervos.


- Não deixar que a insistência dos colaboradores ganhe

"Fica-lhe tão bem! Leve!". Esta é a primeira. Depois vêm outras frases que nos fazem sentir que se não levarmos aquelas botas amarelas vamos estar a cometer um crime. Nós queremos sair da loja mas o colaborador segue-nos e continua a sua ladainha. Não se aguenta!


- Não ir sem ideia do que nos faz falta

Ou acabamos por trazer algo muito semelhante ao que já temos em casa ou fazemos compras impulsivas disparatadas. Resumo: acaba quase sempre em dinheiro mal gasto. Por outro lado, se não temos imediatamente em mente algo que nos faça falta, possivelmente NADA nos faz falta, então temos mais liberdade para comprar o que gostamos, sem restrições (desse género) na escolha.



- Não ir quando não temos dinheiro para gastar

A ideia aqui é "NÃO VÃO!!". Voltar para casa com sonhos que não sabem quando/se vão poder concretizar é terrível e só a nossa pior inimiga merece passar por isso! Quando não há plafond para compras, dediquem-se a outras coisas que o mundo não é um shopping gigante, ok? ahah


Cá eu não caio em nenhuma destas situações. Adoro ir às compras, faz-me feliz e disfarça-me as rugas, portanto quando ponho os pezinhos num centro comercial ou numa baixa é para estar divertida mas serena, sem pressões. Aquela sensação boa, sabem? 

Têm outros conselhos para partilhar? Deixem tudo aqui nos comentários!

imagens através de google.pt

Um beijo,
MariaDaniela

3 comentários:

  1. Boas dicas!

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Opa ir com o namorado de arrasto é do pior. Já cometi esse erro mais que uma vez por pensar: ah não, hoje vai ser diferente! - ahahahah
    Eu queria seguir-te, a sério que sim, mas não tens a aplicação para seguir e assim fica complicado :p

    ResponderEliminar