14 de abril de 2016

Mudar de uma mega mala para uma clutch?! Eu tenho dicas!

Mesmo que nada o obrigue, há uma certa predilecção para usar malas maiores no Inverno e mais pequeninas no Verão. Em ocasiões especiais ou de festa instintivamente recorremos a clutches mas no conforto da nossa rotina tendemos a escolher uma mala bem grande e bonita mas com instinto de saco do lixo: deitamos tudo lá para dentro, sem noção.
Quando damos pela Primavera (eu ponho as minhas mãos no fogo em como ela vai chegar!) e queremos andar com coisinhas leves a tiracolo temos um pequeno enfarte ao olhar para a mala que temos usado ultimamente. A missão é mais ou menos enfiar um elefante no frigorífico. Achamos que tudo o que lá está é indispensável e eu, pessoa ruim até ao osso, digo-vos que não.


Bom, começo por mostrar-vos mais ou menos o que anda sempre comigo numa mala maior. Sei que sou um alien e não carrego garrafas de água, tablets e torradeiras como a maioria, já que tenho noção do que preciso ou não no dia-a-dia. O que eu acumulo como ninguém são talões! Jesus! 
No entanto, havendo espaço, é tudo em grande. O porta moedas é generoso, a caixa dos óculos de sol (que normalmente leva lá uns, só para o caso), o porta-chaves lindo mas cabeçudo, os lenços de papel para a ranhosa, a bolsa com fio dentário, escova e pasta de dentes, "primeiros socorros", produtos para retocar a maquilhagem. Enfim, não está mau, está é tudo em grande!


Assim de repente tudo faz falta. Mas, não cabendo tudo naquilo que é o T0 das bolsas (para as mais distraídas, falo das clutches ou mini bags), temos de estabelecer prioridades e adaptar o que pudermos. 
Para vocês que carregam Os Maias, uma paleta de sombras, um par de chinelos e um balde de pipocas talvez não haja solução! ahahahah No entanto, vejamos como é que eu costumo resolver o assunto.




1. Mudar OBVIAMENTE de porta-moedas. Há quem prefira um porta-moedas pequenino e um porta-cartões separado mas eu gosto mais assim. Está tudo junto e demoro menos quando estou a pagar alguma coisa. Não é fácil encontrar uma carteira pequenina que dê para meter muitos cartões mas esta da Parfois é muito porreirinha. 

2. Reduzir os batons a 1! Vá, eu tento sempre que seja só um, mas na loucura um batom do cieiro e um de cor. Cabem muito bem nos cantinhos mas a verdade é que uma clutch já é ela própria um cantinho. Nada de abusar!

3. Encolher o porta-chaves. Gosto muito do polvinho sorridente e colorido mas quando a mala encolhe ele sabe que vai recambiado para a gaveta. É boa ideia optar por um menos volumoso ou, pelo menos, achatado. Assim é mais fácil colocar em paralelo com a carteira ou num compartimento pequenino da bolsa.

4. Lenços de papel ao mínimo. Nesta altura não vivo sem lenços de papel. As alergias adoram a minha companhia aí desde Abril até Junho por isso estes pacotinhos são os meus maiores aliados. No entanto o tamanho normal destes produtos é coisa para ocupar metade do espaço disponível, então a solução é escolher as embalagens mais pequenitas. As meninas que não sofrem do mal do nariz pingão podem andar apenas com 1 lencinho perdido na mala para ir à casa-de-banho ou qualquer outro momento.

5. Adorar produtos multitasking! Se vão fazer uma refeição fora e não têm tempo para escovar os vossos dentinhos com preceito (ou não vos cabe nada no raio da mala!) as pastilhas elásticas, não substituindo o ritual, dão uma boa ajuda! Para além de dar um hálito fresco em qualquer ocasião, as pastilhas são boas aliadas e as individuais cabem em todo o lado. O lenço de papel é o pai do pó compacto, sabiam? Se não sabiam, continuem na vossa que isto é tudo mentira. O que é certo é que pressionar (não esfregar!!!) um lenço de papel no rosto vai absorver muita oleosidade da nossa pele e deixá-la com pouquinhos brilhos. Pode sair um pouco de base ou pó da aplicação anterior mas, em caso de "desenrasca", faz muito bem a sua função. 

Depois existem as chaves do carro (as de casa, que já falámos no porta-chaves) e o telemóvel, por exemplo, que estão sempre connosco e têm que caber até no buraco de uma agulha. São essenciais e isso nem se discute.
Deve haver sempre um cantinho para um penso rápido em caso de feridas ou bolhas e um produto para quando aquela altura giríssima do mês se adianta. Enfim, não vos estar a ensinar a ser gajas, só queria mesmo deixar aqui a minha forma de atuar implacavelmente quando o assunto é reduzir tralha.

Espero que tenham sacado daqui alguma ideia ou que simplesmente vos tenha lembrado de ir dar a volta ao vosso "sacalhão".
Deixem-me as vossas dicas nos comentários que eu quero muito saber como é que vocês montam esse puzzle difícil dentro das vossas bolsas.

Malas Aldo (a maior apenas existe em verde aqui , a pequena aqui)
Bolsa Toranja
Porta-moedas Parfois

Um beijo,
MariaDaniela 

2 comentários:

  1. olá Maria :)

    Eu não tenho esse problema porque ando mesmo com os essenciais na certeira, carteira (cartões e porta moedas), bolsinha com lenços de papel, e alguma maquilhagem mas o básico do básico e as chaves; ou seja o meu problema é mesmo querer andar com carteiras maiores daquelas "sem forma" tipo as longchamp e elas ficarem a parecer mais ou menos bem!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas com o mesmo drama! ahah Ainda há pouco tempo comentei que queria uma bucket bag da Mango mas como o fundo não é estruturado (ou rígido) e eu carrego poucas coisas comigo, não iria ficar redondinha como devia. E atafulhar coisas lá só para fazer volume não é a minha praia!
      Somos a excepção à regra! :P
      Beijinhos

      Eliminar