14 de setembro de 2016

Atentem nisto!


Existem problemas graves no mundo e eu vou ver quantos me surgem para debater neste post.
Neste momento só tenho em mente mas a coisa com certeza que vai já desenvolver.
Pois bem,

FIRST FIRST WORLD PROBLEM:

     aqui  ,  aqui  ,  aqui ,  aqui


O que é que deu às marcas para só fazerem calçado de camurça este ano?!
Meu povo, este tipo de coisa parece fútil mas não é. Escrevo-vos isto terça-feira e choveu à séria. Como gente grande!! Se eu num golpe de riqueza tivesse comprado todas as botas e botins que queria, olharia em volta e só via camurça. E andar na rua com uma sombrinha, como as pessoas fazem? Como, se se tem sapatinho de camurça a cobrir o pézinho de princesa?!
Todas sabemos que este tipo de material tem problemas de infância com chuva e humidade em geral, então pelamordedeus tenham em atenção alguns aspectos (como o caráter prático do calçado!) antes de arrebanharem tudo e siga para a caixa que se faz noitinha!
Continuam a existir 2 ou 3 modelos mais comuns por aí, o típico tacão médio mais grosso e a imitação de pele em várias cores, mas isso não chega! Queremos botas e botins de toda a forma e de outros materiais que não camurça! Façam-me este gostinho, façam... 


SECOND FIRST WORLD PROBLEM: 

     aqui aqui , aqui

Os lenços são lindinhos mas agora o importante é parecer que não se saiu do concerto dos Xutos.
Ninguém nos ensinou a brincar com lenços. Vemos as parisienses fazer e tentamos replicar mas a coisa nem sempre corre bem. A desajudar temos também a maioria dos padrões e o quão bold são aqueles que temos ao nosso dispor nas lojas mais concorridas da praça. Ficar a parecer que se saiu ou se vai para um concerto é a coisa mais fácil. Se o tecido for fosco e o padrão for em paisley está o circo armado. 
Será sempre mais fácil aplicar o lenço na bolsa ou no pulso do que propriamente no pescoço, na tentativa de manter o look mais certinho. As escolhas também devem recair para os tecidos nobres: seda, cetim, que brilhem e tragam sofisticação. Olhem mais para os lisos, para os riscados e mesmo para padronizados, desde que com algum espírito crítico. Saber escolher é tudo. (E não se chateiem comigo, é só a minha opinião.)


THIRD FIRST WORLD PROBLEM:

     aqui , aqui

Antes comparávamos o preço entre as lojas de fast fashion e as suas maisons inspiradoras, agora é importante comparar etiquetas entre as marcas mesmo mais acessíveis. Estes sobretudos (embora possam não parecer pelas imagens) são extremamente semelhantes, o que os distingue são cerca de 50€ no valor a pagar. Como este casaco, muitos outros produtos existirão em que a diferença de preços permite outra compra simpática. O que vos deixo, para finalizar, é esse alerta. Se existe alguma peça em específico que precisem de comprar e a encontrem não deixem o entusiasmo tomar conta da vossa carteira. Dêem uma vista de olhos pelas outras lojas. Restringindo as nossas compras impulsivas é possível que ainda poupemos algum dinheiro fora do período de saldos, basta o nosso olhinho crítico (que eu sei que todas temos!).


E que tal? Gostaram dos títulos tontos que criei aqui para causar confusão? Não podiam esperar melhor vindo de mim! ahah Digam de vossa justiça que eu adoro ler-vos.

Um beijo,
MariaDaniela

3 comentários:

  1. Já me vais fazer gastar dinheiro... Fui ver os botins cinzentos que gostei muito e deparei-me com estes lindões! http://www.zara.com/pt/pt/mulher/sapatos/botins/botim-raso-el%C3%A1sticos-c288001p3645356.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não era minha intenção!! :P
      Mas são muito bonitos e aguentam os dias de chuva! Acho que não há como dizer que não!!

      Eliminar
  2. Adorei este artigo! ahahah e claro que partilho da tua opinião --'

    ResponderEliminar