12 de outubro de 2016

É preciso desabafar sobre isto #3

- A fotografia mais gira fica sempre estragada!
Não me venham dizer que não acontece convosco que eu passo-me já da marmita e atiro-me ao chão! Seja uma selfie ou a foto da chegada ao pico do Everest, uma pessoa esforça-se para não parecer um ogre e quando sabe já está. Olhos fechados, trombas, boca aberta, um espirro a caminho, eu consigo juntar tudo numa só. Não imaginam a quantidade de posts que já pensei e alinhavei, tirei fotos, olhei por alto a achar que tinha ali material de qualidade e vai-se a ver nem uma se safa na triagem. Entretanto fico sem luz natural, sem bateria e sem vontade de viver.
Já não sou o baleote mais fotogénico do mundo e se a isso ainda juntarmos uma meia dúzia de fotografias queimadas pela luminosidade, temos ouro sobre azul. 
Então de cada vez que uma foto fica boa (numa série de 57), é mesmo essa que vai para o facebook, linkedin, instagram, cartão de cidadão, tudo!
Não me digam que nunca fizeram o mesmo!?





- O drama de mostrar um pouco de toucinho.
A minha mãe costuma chamar a tecidos translúcidos "véus de tapar o presunto". Não tem muito que ver com o assunto mas é coisa que me deixa a rir à gargalhada de cada vez que me lembro. O meu historial familiar de gente meio atravessada é fenomenal. Bom, não sou de mostrar as carnes, como bem sabeis. Vá um vestidinho ali 3-4 dedos acima do joelho e já estamos a roçar o atrevimento. Só que os tops e camisolas num estilo mais cropped chegaram para ficar (quê, há 20 anos?!) e eu ando ando até que deixo que me caiam em graça. Detesto umbigos à mostra mas tudo o que é da cinturinha para cima tem o meu apoio. Acho que tal como as leggings que o povo usa alegremente como se fossem calças, também os crop tops me fazem torcer a venta por ver taaaantos e tão poucos mal conjugados por essas ruas fora. A ver se me deixo de mariquices e mostro uma tirinha de bacon lá de vez em quando. Só muito de vez em quando!



- O meu animal de estimação tem a minha personalidade!
Diz que o bicho se "fez a mim" e agora que olho para ele, cato-lhe grande parte dos meu traços. Desconfiado sempre, mantém os mesmos receios desde o dia do seu nascimento, detesta que lhe roubem comida e adormece em qualquer lado. Assim por alto é isto. Tudo desculpas para o voltar a trazer aqui. Deliciem-se por esta coisinha mai rica!



Um beijo,
MariaDaniela

1 comentário: